História

Fonoaudiologia no Brasil

Data da década de 30 a idealização da profissão de Fonoaudiólogo, oriunda da preocupação da medicina e da educação com a profilaxia e a correção de erros de linguagem apresentados pelos escolares.

Na década de 60, deu-se início ao ensino da Fonoaudiologia no Brasil, com a criação dos cursos da Universidade de São Paulo (1961), vinculado à Clínica de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina, e da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1962), ligado ao Instituto de Psicologia. Ambos estavam voltados à graduação de tecnólogos em Fonoaudiologia, sendo que o primeiro currículo mínimo, fixando as disciplinas e a carga horária destes cursos, foi regulamentado pela Resolução n° 54/76, do Conselho Federal de Educação.

Nos anos 70, tiveram início os movimentos pelo reconhecimento dos cursos e da profissão. Foram criados, então, os cursos em nível de bacharelado, e o curso da Universidade de São Paulo foi o primeiro a ter seu funcionamento autorizado, em 1977.

Sancionada em 09 de Dezembro de 1981, pelo então presidente João Figueiredo, a Lei n° 6965, que regulamentou a profissão de Fonoaudiólogo, veio ao encontro dos sonhos de uma categoria profissional, que ansiava ser reconhecida. Além de determinar a competência do Fonoaudiólogo, com a Lei, foram criados os Conselhos Federal e Regionais de Fonoaudiologia, tendo como principal finalidade a fiscalização do exercício profissional.

As atividades do Conselho Federal de Fonoaudiologia tiveram início em 1983. Em 15/09/84, pela Resolução CFFa n° 010/84, foi aprovado o primeiro Código de Ética da profissão, que elencava os direitos, deveres e responsabilidades do Fonoaudiólogo, inerentes às diversas relações estabelecidas em função de sua atividade profissional.

O crescimento da profissão, a ampliação do mercado de trabalho do Fonoaudiólogo e uma maior conscientização da categoria têm levado os Conselhos de Fonoaudiologia à revisão de toda a sua Legislação. O primeiro fruto deste esforço conjunto foi a elaboração de um Código de Ética novo. Aprovados em 17/12/95. O próximo passo será a revisão da Lei n° 6965, que está completando 32 anos.

Fonoaudiologia na 6ª Região

O exercício da Fonoaudiologia na 6ª região se dá a partir dos anos 70, onde profissionais, que oriundos da área da educação, buscavam formas de solucionar os problemas de aprendizagem de seus alunos. Os primeiros profissionais que aqui atuavam, originalmente vieram da Logopedia, ou da busca pela melhoria no ensino a alunos que, com dificuldades não compreendidas na época, eram por vezes castigados com inúmeras repetências.

Em 1981 veio o tão sonhado reconhecimento através da Lei nº 6.965/81, que dispõe sobre a regulamentação da profissão de Fonoaudiólogo, bem como da implantação dos Conselhos Federal e Regionais de Fonoaudiologia. A AFOMIG (Associação dos Fonoaudiólogos de Minas Gerais), que trabalhou ativamente no processo de regulamentação profissional, passou a lutar por outras causas profissionais, tais como a divulgação da profissão bem como sua importância e também por remuneração adequada para a classe e mais tarde pela implantação da 6ª Região.